Deus Toth: a deificação da sabedoria e da escrita

Thays da Silva

Representado com as formas da ave íbis ou de um babuíno, deus Toth era relacionado pelos antigos egípcios à escrita e à sabedoria. Para eles, Toth teria sido o responsável pela criação da escrita hieroglífica, da matemática, arquitetura, medicina, e todas as demais ciências das quais os egípcios faziam uso. Segundo a crença dessa civilização, essa divindade compreendia todos os mistérios da mente humana.

Além disso, o deus era considerado o advogado da humanidade. Em uma das cenas mais difundidas do Livro dos Mortos, o “Tribunal de Osíris”, Toth aparece registrando o resultado do julgamento pelo qual o morto deveria passar, a fim de garantir sua vida eterna. Esse julgamento consistiria na pesagem do coração do indivíduo que havia falecido, uma vez que os egípcios acreditavam que a consciência das pessoas estava justamente em seus corações. Caso essa parte do corpo mostrasse-se mais leve do que a pena da deusa Maat, divindade relacionada à verdade, ordem e justiça, o morto teria o direito de viver por toda a eternidade junto do deus Osíris, relacionado ao mundo dos mortos. No entanto, caso o coração ficasse mais pesado que a pena de Maat, o corpo e a alma da pessoa julgada desapareceriam para sempre.

A representação desse deus na forma de íbis com o bico curvado, amplamente difundida pelos egípcios, está relacionada com a Lua. Assim, eles acreditavam que a ave seria um dos representantes terrestres de Toth. Esse deus, além de ser o responsável pela sabedoria, escrita, astronomia, matemática, medição do tempo, entre outros elementos, seria também o deus da Lua. É notória a importância de Toth para os antigos egípcios, uma vez que o ciclo lunar determinava vários aspectos das atividades civil e religiosa dessa sociedade.

O nome de Toth aparece nos Textos das Pirâmides, que consistem em uma coletânea de orações e hinos mortuários destinados a proteger os faraós e suas cônjuges, com o intuito de lhes assegurar a vida eterna.

O principal local de culto dessa divindade era Hermópolis, situada no Médio Egito e chamada pelos egípcios de Khmunu, cujo significado era “a cidade dos oito deuses”.

O desenvolvimento da escrita, matemática, arquitetura, astronomia e outras áreas pelos egípcios é notável até os dias atuais. Nesse sentido, percebe-se a importância do deus Toth e da adoração a essa divindade para essa civilização antiga.