Exposição Egípcia

Nascimento, Vida e Morte no Egito Antigo

Era muito importante para as famílias egípcias antigas terem filhos, pois eles, além de representarem a continuidade familiar, no momento propício, realizariam o culto funerário para seus pais. Desse modo, desde o momento em que a mãe descobria-se grávida buscava junto aos deuses proteção para a sua gestação e para a saúde de seu filho. Assim como nós, as crianças egípcias brincavam e criaram diversos brinquedos revelados pelas escavações arqueológicas. Após a infância era necessário dedicar-se a um ofício, o que é possível conhecer através de diversos instrumentos de trabalho e cenas encontradas em tumbas egípcias.

A administração realizada pelos faraós, baseada na explicação religiosa da ordem criada pelos deuses, foi de extrema importância para que esta cultura perdurasse por mais de 3000 anos. A religião era a referência que os antigos egípcios tinham para compreender o mundo, e que se refletiu em inúmeras práticas, como a realização do processo de mumificação.

A exposição “Nascer, Viver e Morrer no Egito Antigo” oferece um passeio por esses assuntos que ajudam a entender um pouco mais como era a vida na antiga terra dos faraós. A mostra está distribuída em cinco salas, incluindo a antecâmara e câmara funerária da múmia Tothmea.